domingo, 30 de agosto de 2009

30 de Agosto - Dia de Luto e Luta dos Educadores e Educadoras do Paraná


Há 21 anos os educadores do Paraná lembram a importante data de 30 de agosto. Em 1988, educadores e educadoreas do Estado do Paraná saíram às ruas para reivindicar o pagamento do piso de três salários mínimos, direito conquistado em outra greve dois anos antes, em 1986. No entanto, o governador do estado Alvaro Dias (então do PMDB) se recusava a cumprir o acordo.
Após chegarem ao Centro Cívico, professores, pais e alunos foram recebidos a cassetetes e bombas de efeito moral. Se não bastassem os cassetetes e as bombas, a cavalaria foi acionada e a violência contra os professores aumentou. A repressão da polícia deixou dezenas de feridos.

Desde então, a data de 30 de agosto passou a ser lembrada como o Dia de Luto e Luta dos Educadores e Educadoras do Paraná. Luto porque Alvaro Dias assassinou o respeito para com os educadores, e Luta porque sempre estaremos lutando em defesa da educação pública. Nesse ano, como o dia 30 foi domingo, as manifestações, os debates e as paralizações serão na segunda-feira, dia 31.


video Uma boa música, na voz de um dos maiores cantores e compositores da Américalatina, Sílvio Rodrigues.

Alvaro Dias é contra os brasileiros


Se não bastasse o que o tucano Fernado Henrique Cardoso fez com as estatais brasileiras (privatizou quase tudo), agora é a vez do Senador Alvaro Dias curvar-se aos interesses do mercado internacional e trabalhar para entregare o Pré-Sal para as multinacionais norteamericanas. O senador, proponente da CPI da Petrobras, contratou uma empresa dos Estados Unidos para trabalhar na CPI. O problema é que os Estados Unidos são os principais interados em ficar com boa parte do petróleo do Pré-Sal, já que suas reservas de petróleo estão praticamente esgotadas.
Outro Senador envolvido na negociata com a empresa americana é Sérgio Guerra, também do PSDB. O curioso é que esse tipo de acordo a Rede Globo não mostra.
A grande mídia prefere mostrar o sensacionalismo do senador Suplicy, mostrando cartão vermelho ao Senador Sarney. Enquanto achamos que o único problema do Brasil é o Sarney, a direita podre e oligárquica brasileira, comandada por Alvaro Dias, articula mais uma ação para entregar as riquezas naturais brasileiras ao capital estrangiero.

"O PRÉ-SAL É O DO POVO BRASILEIRO". O pretóleo do pré-sal pode fazer com que o Brasil seja o quarto país do mundo em reservas de petróleo. Para se ter uma ideia, o Iraque é o terceiro, e os Estados Unidos investiram bilhões de dólares numa guerra, cuja única explicação é ter o domínio das reservas de petróleo daquele país.

Fiquemos atentos...Alvaro Dias é contra a nação brasileira...É a favor da pequena burguesia e do capital estrangeiro.

Alex Dancini

sábado, 29 de agosto de 2009

Saudações socialistas...

Uma breve e simples crônica sobre a cômica briga entre Rede Globo e Record

Um Edir Macedo incomoda muita gente...

Nos últimos dias, os telejornais de todo o Brasil reservaram a maior parte do tempo em que estiveram no ar para falar da nova gripe. A nova gripe infectou a imprensa brasileira. Nem o Lula, nem a Dilma e tampouco o famigerado Sarney foram páreos para a gripe A.

De modo especial, o familiar e principal telejornal da Rede Globo, jornal nacional, em uma decisão inesperada e contraditória, deixou em segundo plano do seu noticiário, a desastrosa e já anunciada manobra da direita oligárquica brasileira, a CPI da Petrobras, as inaugurações do PAC pelo presidente Lula, a candidatura à presidência da ministra Dilma, o enfrentamento às ações imperialistas norte-americanas por parte do presidente da Venezuela Hugo Chaves, as acusações contra o senador José Sarney e o Golpe de Estado de Honduras, que para a TV Globo nem parece ser um Golpe de Estado, mas um simples episódio político das Américas.

Definitivamente, a nova gripe contagiou o Jornal Nacional. A pandemia que se alastra pelo mundo dominou as redações do telejornalismo brasileiro, e a família Bonner também se deixou contagiar.

Se a Rede Globo tem um grande poder de formar opinião no Brasil, as bocas de Bonner e Fátima Bernardes são as principais armas de onde saem rajadas diárias de informações parciais e sem parcimônia, sempre com a intenção de fortalecer a burguesia podre e a direita oligárquica brasileira. Há pouco tempo atrás, era o homem religioso de voz aveludada e de cabelos brancos, Cid Moreira, quem falava para os milhões de brasileiros e ajudava a esse monopólio das comunicações brasileira a escolher a maioria dos representantes políticos dos três poderes, inclusive, e de forma mais descarada, o governo estadual do Rio de Janeiro. Algumas vezes deu certo, outras não; Brizola que o diga. Por falar em Leonel Brizola, há mais ou menos quinze anos atrás o mago do telejornal brasileiro, Cid Moreira, lia, ao vivo, o direito de resposta concedido pela justiça a Brizola, e no qual o gaúcho de Passo Fundo execrou todo o aparato de comunicação da família Marinho. No ano de 1994, a Rede Globo passou vergonha diante de milhões de telespectadores e a culpa foi de Leonel Brizola.

Nos últimos dois anos, a emissora tem lutado para não passar mais uma vergonha. Nesse caso, a luta é para não perder o posto de maior rede de TV do Brasil, com programas líderes de audiência, mesmo apresentando conteúdos pífios. No entanto, existe uma pedra chamada Record no caminho dos Marinho, e que ultimamente insiste em trazer dor de cabeça para a tradicional família carioca. A Record passou a ameaçar o monopólio global e já produz programas que superam a audiência da emissora global. Nada pior para os idealizadores do criança esperança, amigos da escola e tele curso 2000, que ficar em segundo lugar. Nunca estiveram lá, sempre ocuparam o primeiro posto e ditaram as regras para um monte de gente. E nos últimos anos, a emissora global não tem tido muita eficácia em seus ditames e manobras, o presidente eleito José Serra que o diga.

A Record incomoda tanto a Rede Globo, que o dono e fundador da principal concorrente da emissora carioca mereceu destaque dentre as notícias veiculadas pelo belo casal Bonner (por que não Bernardes?) praticamente durante toda esta semana. Edir Macedo foi manchete de abertura na escalada do telejornal e premiado com praticamente metade do tempo em que o telejornal ficou no ar. Edir Macedo incomoda os Marinho de tal maneira, que eles nem se preocupam se as denúncias e as reportagens têm, inescrupulosamente, um teor de ataque pessoal. Logo o telejornal da família Bernardes (?) praticando jornalismo amador? Incrível, nem a nova música orquestrada pela direita podre e oligárquica brasileira para prejudicar a imagem da ministra Dilma conseguiu ser mais forte que Edir Macedo. Aliás, o dono da TV Record e fundador da Igreja Universal acabou até com o vírus da nova gripe que havia contagiado a redação dos telejornais global.

Nunca fui fã de Edir Macedo, até porque não é um cara de grandes feitos na sociedade. Porém, sou o mais novo fã do principal inimigo da Rede Globo, pois fazer os Marinho “tremerem na base” é um grande feito na sociedade brasileira.

Alex Dancini